>Quero voltar a confiar

>

“Fui criado com princípios morais comuns:
Quando eu era pequeno, mães, pais, professores, avós, tios, vizinhos, eram autoridades dignas de respeito e consideração.
Quanto mais próximos ou mais velhos, mais afeto.
Inimaginável responder de forma mal educada aos mais velhos, professores ou autoridades… Confiávamos nos adultos porque todos eram pais, mães ou familiares das crianças da nossa rua, do bairro, ou da cidade…
Tínhamos medo apenas do escuro, dos sapos, dos filmes de terror…
Hoje me deu uma tristeza infinita por tudo aquilo que perdemos.
Por tudo o que meus netos um dia enfrentarão.
Pelo medo no olhar das crianças, dos jovens, dos velhos e dos adultos.
Direitos humanos para criminosos, deveres ilimitados para cidadãos honestos.
Não levar vantagem em tudo significa ser idiota.
Pagar dívidas em dia é ser tonto…
Anistia para corruptos e sonegadores…
O que aconteceu conosco?
Professores maltratados nas salas de aula, comerciantes ameaçados por traficantes, grades em nossas janelas e portas.
Que valores são esses?
Automóveis que valem mais que abraços, filhas querendo uma cirurgia como presente por passar de ano.
Celulares nas mochilas de crianças.
O que vais querer em troca de um abraço?
A diversão vale mais que um diploma.
Uma tela gigante vale mais que uma boa conversa.
Mais vale uma maquiagem que um sorvete.
Mais vale parecer do que ser…
Quando foi que tudo desapareceu ou se tornou ridículo?
Quero arrancar as grades da minha janela para poder tocar as flores!
Quero me sentar na varanda e dormir com a porta aberta nas noites de verão!
Quero a honestidade como motivo de orgulho.
Quero a vergonha na cara e a solidariedade.
Quero a retidão de caráter, a cara limpa e o olhar olho-no-olho.
Quero a esperança, a alegria, a confiança!
Quero calar a boca de quem diz: “temos que estar ao nível de…”, ao falar de uma pessoa.
Abaixo o “TER”, viva o “SER”.
E viva o retorno da verdadeira vida, simples como a chuva, limpa como um céu de primavera, leve como a brisa da manhã!
E definitivamente bela, como cada amanhecer.
Quero ter de volta o meu mundo simples e comum.
Onde existam amor, solidariedade e fraternidade como bases.
Vamos voltar a ser “gente”.
Construir um mundo melhor, mais justo, mais humano, onde as pessoas respeitem as pessoas. Utopia?
Quem sabe?…
Precisamos tentar…
Quem sabe comecemos a caminhar transmitindo essa mensagem…
Nossos filhos merecem e nossos netos certamente nos agradecerão!”.
Arnaldo Jabor

10 comentários

  1. ValériaC said,

    Abril 10, 2010 às 2:46 pm

    >Julimar querida, que texto magnífico…faço coro as belas palavras de Jabor… pois é tudo o que mais quero para todos nós…Precisamos nos conscientizar disto e lembrarmos de dar valor à simplicidade de tudo, enxergarmos o que verdadeiramente é essencial…e passarmos estes valores adiante…Lindo final de semana amiga… amei a imagem que você colocou no post…encantadora…Beijos…

  2. Uman said,

    Abril 10, 2010 às 6:43 pm

    >Juli,O mundo atual ésta e não é. Sem apontar os responsáveis, devemos pautar na educação de nossas crianças os reais valores ao ser humano. Toda parafernália eletrônica, toda diversão que adormece a consciência, nada disso leva a um futuro luminoso. O TER é motivo hoje de batalhas onde grandes corporações ganham, provocam mais vicios do que hábitos, e o SER fica nem no segundo plano. Psicólogos, estudiosos, entendidos não encontram respostas saudáveis para esse abismo que aparece na frente de todos; enfim, parece que a humanidade está indo para onde não se deve, mas que talvez tenha que ir para aprender.O homem é tão contraditório que é como estivesse querendo morder o próprio rabo, como o cão. Busca a felicidade na infelicidade.Que possamos, os que buscam crescer em Espírito, ser mais exemplo do que falador.Disso o mundo tem demais.Meu anjo, tenha um fim de semana de muita luz!!!Com carinho,Jorge

  3. Vida*** said,

    Abril 10, 2010 às 7:53 pm

    >Quero SER*** Quero a honestidade como motivo de orgulho!!Viver o simples.Poder transmitir com serenidade as crianças.Um mundo mais justo e digno.Livre de violências e Drogas!! Que a Paz esteja nos lares.Que as diferenças sejam respeitadas!! Amor ao próximo e solidariedade.Formando um elo de união Fraternal voltados para a beleza interior que cda um traz dntro de si.Sinceridade,Verdade.(Olha!! Esta linda as flores que colocaste nesse post.Seus textos bastante profundo e construtivo.) Um abço carinhoso.Com muita Paz e Luz.Energias Positivas. Namastê.

  4. Abril 10, 2010 às 10:31 pm

    >Julimar Murat,Seu belo texto nos remete a uma época de ouro, e que não mais existe.Creio que toda essa sucessão de fatos tristes, se deve a um dos maiores pilares que por enquanto, se encontra em ruínas : "A total falta de educação do povo e crianças, e ainda, uma absurda inversão de valores",O que observamos são crianças que vêm sucessivamente queimando etapas importantes de suas vidas, quando deveriam estar estudando mais, brincando mais, sendo melhor orientadas por se encontrarem na fase de formação da personalidade e caráter, para que se tornem adultos na hora certa, e saibam com gerenciar suas próprias vidas.Ótimo texto.Beijos de luz e paz

  5. Silvia said,

    Abril 11, 2010 às 12:55 pm

    >É a minha utopia também – e aquilo que tento transmitir aos meus alunos. Se calhasr já estou num "generation gap"… Mas olha que as crianças, e os adultos que ensino agora, em geral reagem bem aos ensinamentos. Às vezes há um ou outro já muito marcados pelas vicissitudes da vida, que leva mais tempo. Muito obrigado, querida Julimar.

  6. Abril 12, 2010 às 3:13 am

    >Oiee Julimar…bela reflexão de Jabor e a imagem é perfeita.Mas o importante sem sombra de dúvida é SERMOS.Sermos aqueles que irão fazer a diferença, assim como aquele beija-flor que sozinho tentava apagar o incendio…pq segundo ele estava fazendo a sua parte, então façamos a nossa.Que sejamos a mudança que queremos ver no mundo.Bjss

  7. Cris Tarcia said,

    Abril 12, 2010 às 8:15 pm

    >Julimar lindo texto, Jabor sabe sensibilizarBeijos e uma linda semana

  8. Abril 13, 2010 às 11:22 am

    >Querida Julimar!Que gostoso ler esse texto, meu deu uma saudade do meu tempo, desses tempos bons, carregados de bons exemplos. Saudade de quando aluna na escola primária, levantar quando o professor entrava na sala de aula, de colocar a mão no peito qdo se cantava o hino nacional, dos desfiles em datas cívicas, das aulas de Educação Moral e Cívica.Saudades de uma época em que mentir e coisa séria, ser desonesto nem pensar.Mas precisamos continuar sim confiando, confiando no amor, na bondade, na simplicidade, acreditando sempre no ser humano esse ser divino criado por Deus.Sempre será tempo de semear, nos corações de nossos filjos e netos dizendo a eles que é possível sim ser digno, ser íntegro, ser honesto.Bjs luminosos em seu coração perfumado

  9. Abril 13, 2010 às 3:09 pm

    >Quando falamos em sonhos lembramos do amor, ouvimos os sons das esferas. O universo responde ao canto lírico da alma.E o sutil se manifesta para o grande vôo da alma…E neste caminho construímos as rotas das virtudes.Grande abraço

  10. Abril 14, 2010 às 3:59 pm

    >Que texto lindo. Chama a atenção de todos nós a ficarmos atentos mais ao ser do que ao ter. Os valores distorceram desde que o "ter" se tornou o mais importante, nê. Por isso, Jesus disse: bem-aventurado os pobres de espírito, porque deles é reino dos céus.beijo


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: